Home » Linha do tempo » A Casa do Caminho

A Casa do Caminho

primeiroA 14 de janeiro de 1973, em memorável reunião de médiuns e outros irmãos espíritas, criou-se o Centro Espírita “A Casa do Caminho”, sendo eleita presidente D. Isabel Salomão de Campos, que pôs mãos à obra com ajuda de trabalhadores do bem encarnados, assim como dos mentores espirituais, que nunca nos abandonaram.
A 9 de fevereiro do mesmo ano, o “Minas Gerais”, órgão oficial do Estado, publicou o extrato dos Estatutos, e a 11 de abril “A Casa do Caminho”, pelo registro n.° 1 .726, do Cartório Laura Figueiredo, já era pessoa jurídica. Por Lei n.° 4.619, de 5 de maio de 1974, sancionada pelo Prefeito Itamar Franco, foi considerada de utilidade pública.
Em abril de 1973, um dos nossos irmãos doou à Casa do Caminho um terreno com área superior a 1.100 metros quadrados, à rua Almirante Barroso. A escritura definitiva foi assinada em 30 de outubro de 1973, quando a construção da sede própria já estava adiantada, graças inclusive à cooperação de outro irmão que, como engenheiro, beneficiou-a com a feitura da respectiva planta e supervisão das obras.
Decorrido um ano, três meses e alguns dias, os trabalhos espirituais, que funcionavam no Centro Espírita “Humildade e Caridade”, por gentileza de seu presidente Dr. Armínio Rego de Carvalho, foram transferidos definitivamente para “A Casa do Caminho” a 10 de maio de 1974.
Outro irmão nosso, Diretor de Patrimônio, doou elevada importância em dinheiro e fez a doação de uma granja que, por meio de “ação entre amigos”, concorreu grandemente para a aquisição de fundos empregados na construção desta Casa.
De vários outros irmãos vieram donativos, em dinheiro, em materiais e até em joias, para auxiliar as obras, a eles juntando-se a colaboração de grande parte do povo de Juiz de Fora, merecendo ser também ressaltado, quanto à administração das obras, o trabalho do Diretor de Relações Públicas, cujo desvelo ultrapassou os limites imagináveis.
Já, em outubro de 1974, “A Casa do Caminho” recebeu a visita dos Drs. Ney Peres e Maria Júlia, de São Paulo, que aqui fizeram palestras sobre temas evangélicos e os “efeitos de Kirlian”.
No mesmo mês, inaugurou-se a Escola de Evangelização da Criança e Mocidade, ora em pleno funcionamento. Em comemoração ao seu 1º aniversário, em 10 de maio próximo, “A Casa do Caminho” inaugurará a parte térrea de sua sede, onde contaremos com três salas para as aulas de evangelização das crianças; um salão para as atividades dos jovens que será, também, utilizado para costuras, reuniões sociais, etc.; uma pequena cozinha e instalações sanitárias.
Essa segunda etapa das nossas obras foram supervisionadas por outro irmão em Jesus, também engenheiro.
Em dezembro de 1974 e nos meses de janeiro a abril de 1975, contamos, nas reuniões de evangelização da primeira sexta-feira de cada mês, com as palestras do irmão Lauro Mendonça, do Rio de Janeiro, que teremos a alegria de voltar a ouvir em junho, agosto, outubro e dezembro vindouros.
Em 28 de março, tivemos a grata satisfação de receber a visita do irmão Floriano Moinho Peres, presidente da Federação Espírita do Estado do Rio, que foi o orador da noite.
A 18 de maio próximo, a “Casa do Caminho” estará recebendo a caravana da Federação Espírita Brasileira, que, então, visitará instituições espíritas e pontos turísticos de Juiz de Fora.
Foi o seguinte o resumo numérico, aproximado, das atividades do Centro Espírita “A Casa do Caminho”, neste seu primeiro ano de vida:
— Orientação individual. 1.094 atendimentos
— Visitas domiciliares (doentes acamados)
» aos sábados: 480 atendimentos
» outros dias: 230 atendimentos
— Visitas a doentes hospitalizados: 144 atendimentos
— Total de PASSES dados:
Às segundas-feiras (desde julho de 1974) 6.040; às quartas-feiras (desde maio de 1974) 8.640; às quintas-feiras (desde julho de 1974) 2.220; às sextas-feiras (desde maio de 1974) 19.300; e aos sábados (desde julho de 1974) 2.880.
Portanto, foram dados 39.080 passes, o que, sem dúvida alguma, é um número bastante representativo e dispensa qualquer comentário.
(Bibliografia: Boletim Informativo, n. 06, maio/junho 1975, “1º. Aniversário de A Casa do Caminho”)

[content_timeline id="1"]